Os acionistas do BBVA decidiram aumentar significativamente o capital alocado para a aquisição do Banco Sabadell, aprovando um aumento de 96%. Este passo crucial no processo de compra, que incluiu um quórum de 70,75% do capital social, é um importante passo à frente, embora ainda haja um longo caminho a percorrer. Os acionistas do Sabadell terão que decidir se venderão suas ações no final do período de oiling.

O aumento de capital era um requisito fundamental para a aquisição da entidade catalã. No entanto, há incertezas que podem afetar o processo, como o veredito da Comissão Nacional de Mercados e Concorrência (CNMC) e as decisões do Governo sobre a fusão.

O presidente do BBVA, Carlos Torres, enviou uma mensagem clara aos acionistas e ao conselho de administração do Banco Sabadell, que acolheram a proposta de fusão. Durante seu discurso na reunião extraordinária, Torres enfatizou a importância do aumento de capital e destacou a estratégia por trás da oferta e seu impacto positivo em todos os stakeholders. Ele disse que o BBVA quer dar aos acionistas do Sabadell a opção de decidir.

Torres também explicou que a oferta é muito atrativa, oferecendo uma participação de 30% aos preços atuais e a possibilidade de os acionistas da Sabadell adquirirem um valor maior participando de 16% da entidade combinada, assumindo a propriedade total.

Durante a reunião, que começou com uma salva de palmas para Torres e o CEO Onur Genç, os benefícios da operação foram delineados. A fusão permitirá ao BBVA aumentar seu crescimento e fortalecer sua posição na Espanha, tornando-se o segundo maior banco em termos de empréstimos e melhorando sua capacidade competitiva. Além disso, espera-se que a transação gere sinergias significativas, com economia de custos estimada de EUR 850 milhões antes dos impostos.

Torres disse que essas economias serão alcançadas em três anos, com custos de integração de 1,45 bilhão de euros. Essas sinergias estão relacionadas principalmente aos custos fixos e à tecnologia do grupo. No entanto, o Banco Sabadell questionou alguns desses números e solicitou que o BBVA incluísse todos os cenários possíveis no prospecto da oferta pública de aquisição para que os acionistas possam tomar decisões mais bem informadas.

Após aprovar o aumento de capital, Torres agradeceu o apoio dos acionistas, destacando que os 96% de votos favoráveis ​​representam um passo importante para seguir adiante com esse projeto. Ele disse que eles estão totalmente confiantes no sucesso da operação.

Em relação ao impacto no emprego, Torres garantiu que a integração dos recursos humanos será baseada em critérios de competência e mérito profissional. Reconheceu a incerteza gerada por esse processo, mas garantiu que todas as decisões serão tomadas com o objetivo de proteger a qualidade do trabalho e as condições de trabalho.

Por fim, Torres destacou o melhor crescimento que o BBVA experimentou nos últimos anos, assim como os dividendos distribuídos aos acionistas, que somam mais de 13,2 bilhões de euros desde 2021.