Economia no centro do debate televisivo entre Biden e Trump

O debate televisivo entre o presidente Biden e o ex-presidente Donald J. Trump na quinta-feira promete ser dominado por questões económicas cruciais. Temas como inflação, imigração, impostos, gastos governamentais, taxas de juros e relações comerciais estarão no centro das discussões, com ambos os candidatos fazendo declarações contundentes, como é comum em suas campanhas.

Para acompanhar o debate com um olhar crítico e informado, é essencial ter uma compreensão clara dos dados económicos atuais e da investigação mais recente. A seguir, apresentamos uma análise detalhada dos dois principais temas econômicos que serão discutidos.

Inflação: alta, mas desacelerando

A inflação disparou durante a pandemia devido a vários fatores. Com mais de 5 trilhões de dólares injetados na economia em resposta à Covid-19, tanto sob Trump quanto sob Biden, o aumento da demanda devido ao impacto positivo das interrupções na cadeia de suprimentos global.

A invasão da Ucrânia pela Rússia em 2022 agravou ainda mais a situação, aumentando os preços do gás e dos alimentos. A inflação atingiu seu pico de 9,1% no verão de 2022, mas desde então desacelerou para 3,3%, embora permaneça acima dos níveis pré-pandêmicos.

Economia Resiliente

Apesar da inflação elevada, a economia dos EUA mostrou resiliência. O consumo manteve-se robusto, o mercado de ações subiu com otimismo em torno de inovações como a inteligência artificial e o desemprego manteve-se abaixo dos 4% desde o final de 2021. O crescimento salarial também foi sólido, com as contratações a superarem as expectativas.

Imigração e Mercado de Trabalho

A imigração tem desempenhado um papel crucial no mercado de trabalho. Assim que a pandemia começou, a imigração legal recuperou, estimando-se que 2 milhões de pessoas possam imigrar para os EUA este ano. Isto ajudou a suprimir a procura por parte dos trabalhadores, mas também gerou tensões em algumas áreas.

Trump promete endurecer as políticas de imigração, uma vez que estudos sugerem que a imigração tem benefícios económicos significativos, incluindo a redução do défice para quase 900 mil milhões de dólares na próxima década.

Déficit e Divisão Nacional

O déficit de capital dos EUA está projetado para atingir 1,9 trilhão de dólares em 2024, com um aumento para 2,9 trilhões de dólares nos próximos 10 anos. Tanto o governo Trump quanto o Biden contribuirão para esse aumento, mesmo excluindo medidas de alívio da pandemia. Altas taxas de impostos representam um desafio adicional, com altas taxas de impostos esperadas para permanecer por mais tempo.

Impostos sobre anuidades: fora do controle político

A Reserva Federal, que fixa as taxas de juro, manteve as taxas elevadas para combater a inflação. Embora existam expectativas de cortes nas taxas, as autoridades esperam que estas permaneçam acima de 3% até 2026. As taxas elevadas afectam directamente os consumidores, aumentando os custos dos empréstimos e contribuindo para a pessimismo económico.

Tarifas e Política Comercial

A política comercial será outra área de foco e debate. Trump impôs tarifas aos parceiros comerciais, especialmente à China, e promete medidas ainda mais drásticas. Biden anunciou recentemente aumentos tarifários sobre uma série de importações chinesas. Adoptar estas políticas para fortalecer a produção americana e garantir cadeias de abastecimento mais resilientes, que também sejam rentáveis, repetidamente transmitidas aos consumidores.